Cunha vai a Nova York com 10 parlamentares

Presidente da Câmara já foi criticado por causa de um tour que fez na Rússia e Oriente médio acompanhado de 13 deputados, em uma viagem que teve custo total de R$ 395 mil aos cofres públicos

Daniel Carvalho, O ESTADO DE S. PAULO

26 de agosto de 2015 | 19h23

Brasília - O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), embarca nesta quinta-feira, 27, para os Estados Unidos para participar da quarta edição da Conferência Mundial de Presidentes de Parlamentos, na sede da ONU, em Nova York. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), também consta como orador do evento, mas informou que não participará do encontro.

A participação de Cunha está prevista para segunda-feira, 31, embora já embarque nesta quinta. A Câmara ainda não divulgou a agenda completa do parlamentar nem quem o acompanhará na viagem.

Além de Cunha, participam do evento os deputados Maurício Quintella (PR-AL), Átila Lins (PSD-AM), Soraya Santos (PMDB-RJ), Iracema Portella (PP-PI), Cláudio Cajado (DEM-BA), Eduardo da Fonte (PP-PE), Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP) e os senadores Ciro Nogueira (PP-PI), Gladson Cameli (PP-AC) e Sérgio Petecão (PSD-AC).

A assessoria da Casa limitou-se a informar que ele tem agenda com a representação da ONU na sexta-feira, 28. Na segunda, deve deixar o evento por volta das 15h e já segue para o Brasil. A conferência segue até quarta-feira, 2.

O objetivo do fórum é estimular o diálogo e a cooperação entre parlamentos do mundo. O tema do encontro é paz, democracia e desenvolvimento pela ótica parlamentar.

As viagens de Cunha são alvo de críticas por causa de um tour diplomático realizado no primeiro semestre pela Rússia e Oriente Médio. A viagem de sete dias do presidente da Câmara e outros 13 deputados por Israel, pelo território palestino e pela Rússia, em junho deste ano, custou cerca de R$ 395 mil aos cofres públicos. As despesas foram com passagens aéreas, taxas de embarque e diárias para hospedagem e alimentação. Alguns deputados utilizaram o dinheiro da cota parlamentar destinada a despesas com passagens aéreas e, por isso, a Câmara calcula que os custos da missão são de R$347 mil.

A Câmara informou em julho não ter pagado as despesas das sete mulheres dos parlamentares, inclusive a de Cunha, e de amigos deles que acompanharam a missão. A Casa disse ainda que a parte turística da viagem foi paga pelos anfitriões. 

Tudo o que sabemos sobre:
eduardo cunhacâmara dos deputados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.