Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Cunha diz que propósito do pedido de prisão é influenciar resultado no Conselho de Ética

Em comunicado, Cunha diz que o pedido visa constranger os membros do Conselho de Ética para forçá-los a votar pela sua cassação.

Daiene Cardoso e Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2016 | 13h29

BRASÍLIA - Em nota divulgada na tarde desta terça-feira, 7, por sua assessoria de imprensa, o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) não quis contestar as razões que levaram o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a pedir sua prisão, mas disse que viu a medida com estranheza.

Acompanhe ao vivo a sessão do Conselho de Ética que vota o parecer pela cassação de Eduardo Cunha.

Em um breve comunicado, Cunha diz que o pedido visa constranger os membros do Conselho de Ética para forçá-los a votar pela sua cassação.

"Não tomei ciência do conteúdo do pedido do Procurador Geral da República, por isso não posso contestar as motivações. Mas vejo com estranheza esse absurdo pedido, e divulgado no momento da votação no Conselho de Ética, visando a constranger parlamentares que defendem a minha absolvição e buscando influenciar no seu resultado", diz a nota.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Eduardo CunhaRodrigo Janot

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.