Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Cunha deve responder hoje a pelo menos parte das perguntas feitas pela PF

Depoimento faz parte de inquérito que investiga Temer; Defesa do ex-deputado tentou adiar o depoimento alegando não ter tido acesso à íntegra do inquérito

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2017 | 11h58

CURITIBA - O ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) deve responder a pelo menos parte das perguntas feitas pela Polícia Federal em depoimento nesta quarta-feira, 14, no inquérito que investiga o presidente Michel Temer por corrupção passiva, obstrução da Justiça organização criminosa. 

Segundo pessoas próximas a Cunha, o ex-deputado, preso no Paraná desde outubro do ano passado por envolvimento no esquema de desvios da Petrobrás relevado pela Lava Jato, vai responder às perguntas “dentro do possível”. 

Os advogados do peemedebista tentaram adiar o depoimento alegando não terem tido acesso à íntegra do inquérito. O pedido, no entanto, dependia de manifestação do ministro Edson Fachin, relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF). Até o horário marcado para o início do depoimento, 11h desta quarta-feira, Fachin não havia se manifestado sobre o pedido de adiamento.

De acordo com fontes próximas ao ex-presidente da Câmara, a expectativa é que a Polícia Federal repita, nesta quarta-feira, ao ex-deputado, parte das 82 perguntas encaminhadas a Temer e que o presidente não respndeu.

Cunha chegou à sede da Polícia Federal em Curitiba por volta das 10h vindo do Complexo Médico Penal de Pionhais na tregião metropolitana da capital paranaense, onde esta preso. Seus advogados chegaram meia hora depois. As perguntas a Cunha foram elaboradas pela PF em Brasília, onde corre o inquérito contra Temer, e serão lidas por um delegado da corporação em Curitiba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.