ANDRE DUSEK/ESTADAO
ANDRE DUSEK/ESTADAO

Cunha dará prioridade à instalação da CPI da Petrobrás

Integrantes da base aliada também assinam pedido de instalação de comissão para investigar estatal

DAIENE CARDOSO, O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2015 | 02h03

BRASÍLIA - O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deve autorizar hoje a instalação de uma comissão parlamentar de inquérito da Petrobrás. "A Petrobrás hoje é um assunto que tem que ser passado a limpo e vai ser passado a limpo", defendeu Cunha, demonstrando preferência pela viabilização de uma comissão mista no Congresso.

Como na Câmara só podem funcionar cinco comissões por vez, oposição e base aliada passaram os últimos três dias coletando assinaturas para preencher as vagas. Além da comissão da estatal, aguardam deferimento o requerimento para investigar planos de saúde, outro para discutir a interferência de pesquisas eleitorais nos últimos pleitos a partir de 2010 e, do lado governista, dois pedidos do PT: um para investigar a violência contra jovens negros e pobres e outra para apurar a violência no Brasil. Cunha avisou que vai analisar os pedidos por ordem de chegada.

Critérios. O critério para a instalação é a conferência das assinaturas necessárias (pelo menos 171) e se há fato determinante para a criação da comissão. Ele já concluiu que o requerimento da CPI da Petrobrás cumpriu todos os critérios para sua instalação. A oposição conta com a possibilidade de rejeição das comissões governistas para emplacar pelo menos a CPI do setor elétrico contra o governo.

Além das assinaturas dos parlamentares do PSDB, PPS, PSB e DEM, a oposição obteve o apoio de 52 deputados da base aliada. Foram recolhidas 186 assinaturas, sendo quatro rejeitadas. Das 182 válidas, 14 eram de parlamentares do PDT, 12 do PSD, 10 do PMDB, sete do PR, cinco do PP, duas do PRB, uma do PTB e uma do PROS.

Entre os que apoiaram o pedido estão o líder do PDT, André Figueiredo (CE), o candidato a líder da bancada do PMDB Danilo Forte (CE), os estreantes Clarissa Garotinho (PR-RJ) e Sérgio Reis (PRB-SP) e os deputados Jair Bolsonaro (PP-RJ) e Tiririca (PR-SP).

Senado. Ontem, o PSDB do Senado começou a coletar assinaturas para a criação da CPI Mista da Petrobrás no Congresso. Já foram recolhidas 18 assinaturas, sendo que o mínimo necessário é de 27. "A Câmara se mostrou mais disposta", disse o líder do DEM na Casa, Mendonça Filho (PE). Os senadores não querem ficar de fora das investigações no Congresso. "Vamos sentar com eles (deputados) para conversar", disse o senador tucano Aécio Neves (MG). / COLABOROU DANIEL CARVALHO

Mais conteúdo sobre:
CPIPetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.