CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO
CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO

Cunha cria comissão para tratar reforma tributária

Representantes devem ser indicados em agosto, após o recesso parlamentar, e terão 30 dias para formular propostas relacionadas ao tema

Daniel Carvalho e Daiene Cardoso, O Estado de S. Paulo

23 de julho de 2015 | 10h15

BRASÍLIA - Em pleno recesso parlamentar, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PDMB-RJ), criou nessa quarta-feira, 22, uma comissão especial destinada a analisar e formular proposições relacionadas à reforma tributária.

Na semana passada, Eduardo Cunha rompeu com o governo e se disse na oposição após o lobista Julio Camargo tê-lo acusado, em depoimento, de exigir US$ 5 milhões de propina por contratos da Petrobrás.

Segundo o ato da presidência, a comissão será composta por 27 membros titulares e pela mesma quantidade de suplentes e terá 30 dias de funcionamento, a partir de sua instalação.

Os líderes partidários só devem indicar seus representantes na comissão em agosto, quando voltarem do recesso parlamentar.

Assim como a reforma política, a apreciação da reforma tributária foi promessa de Cunha em sua campanha pela presidência da Casa, no início deste ano.

A reforma política, que, na verdade, trata-se mais de uma reforma eleitoral, está praticamente concluída. Restam apenas algumas emendas que serão votadas na volta do recesso.

"Recesso branco". A criação da comissão ocorre porque o Congresso está, formalmente, em funcionamento normal, já que a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) ainda não foi votada, como exige a legislação. Ainda assim, os parlamentares decidiram tirar folga este mês, chamada de "recesso branco", e só retornam ao trabalho em agosto. 

Tudo o que sabemos sobre:
Eduardo Cunhareforma tributária

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.