Crivella promove sua candidatura em visita de Lula ao RJ

Pré-candidato à prefeitura do Rio, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) aproveitou a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva às favelas para fazer campanha eleitoral. Em Manguinhos, moradores que chegavam para ver o presidente recebiam um panfleto em papel cartão com uma foto do senador e uma simulação de como ficará o Morro da Providência, na zona norte, após as obras de recuperação de casas que estão sendo conduzidas pelo Exército.No verso, um texto de Crivella afirma que o projeto, batizado de Cimento Social, é originário de seu programa eleitoral de 2004, quando se candidatou à prefeitura sem sucesso. Segundo o coordenador-geral da fiscalização da propaganda eleitoral do Estado do Rio, juiz Luiz Márcio Pereira, o senador poderá ser condenado ao pagamento de multa de até R$ 53 mil se os panfletos caracterizarem campanha fora do período eleitoral, que só começa em julho. O juiz eleitoral ressaltou que o panfleto pode ser encarado como prestação de contas do mandato, mas lembrou que as ações de promoção pessoal têm sido encaradas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) como propaganda irregular. Ele conta que, em maio de 2004, o deputado Jorge Bittar (PT-RJ) foi condenado a pagar multa por panfletos sob o título de prestação de contas distribuídos num ato político em torno de sua pré-candidatura à prefeitura. A condenação foi confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).A distribuição dos panfletos ajudou a aumentar a popularidade do senador entre os moradores de Manguinhos. Depois do presidente Lula, ele foi o nome mais aplaudido do palanque, apesar da presença de outros três pré-candidatos: Eduardo Paes (PMDB), Alessandro Molon e Benedita da Silva, ambos do PT. O senador respondeu com muitos acenos e ouviu elogios do presidente Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.