Paulo Carneiro|Agência O Dia
Paulo Carneiro|Agência O Dia

Após reunião com pastores, partido acusa Crivella de improbidade administrativa

Prefeito do Rio ofereceu a líderes religiosos desde cirurgias de cataratas a auxílio com IPTU, segundo informou o jornal O Globo; PSOL afirmou que vai entrar com denúncia no Ministério Público

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

06 Julho 2018 | 12h52

RIO - O PSOL vai entrar com uma denúncia no Ministério Público contra o prefeito do Rio, Marcello Crivella (PRB), por conta de um evento em que ofereceu facilidades e benefícios a pastores e líderes de igrejas. Entre os auxílios, estão cirurgias de cataratas e varizes para fiéis e a assistência a pastores que tivessem problemas de IPTU em seus templos.

++ Peça rejeitada pelo prefeito Marcelo Crivella será encenada na Fundição Progresso

++ Alckmin repete estratégia usada para eleger Crivella

A partir da denúncia, o MP poderá avaliar se entrará com uma ação de improbidade administrativa contra o prefeito. O partido avalia que o ato praticado pelo prefeito, revelado pelo jornal O Globo, configura crime por violar os princípios da administração pública.

Segundo o PSOL, Crivella usou bem imóvel da Prefeitura em benefício de candidato, “para uma reunião que claramente era para propaganda eleitoral extemporânea”. “Inclusive porque pediam que fossem levadas demandas e informava que os pré-candidatos seriam levados nas igrejas posteriormente”, diz a nota.

“O oferecimento de ajuda com o IPTU das igrejas e a cirurgias de catarata e varizes, além de ser um encontro secreto, como informado na reportagem, viola os princípios da imparcialidade e da legalidade, protegidos pela Lei de Improbidade Administrativa”, acrescentou.

Entenda o caso 

O prefeito (PRB) promoveu um encontro reservado no Palácio da Cidade, sede da Prefeitura, na última quarta-feira, 4, com pastores e líderes religiosos. Segundo O Globo, os organizadores chegaram a pedir que os participantes não registrassem o encontro. Além disso, solicitaram reivindicações por escrito, relações de suas igrejas e número de fiéis.

Crivella, que é bispo licenciado da Igreja Universal, discursou por mais de uma hora e exaltou o pré-candidato a deputado federal pelo PRB, Rubens Teixeira. A reportagem divulga áudios do encontro. Em uma deles, Crivella diz que, se “os irmãos” tivessem alguém na igreja com problema de catarata era só procurar um de seus assessores.

“É só conversar com a Márcia que ela vai anotar, vai encaminhar e, daqui a uma semana ou duas, eles estão operando”, disse o prefeito no áudio gravado pelo jornal. O prefeito também ofereceu ajuda a pastores com problema no pagamento do IPTU.

“Igreja não pode pagar IPTU, nem em caso de salão alugado. Mas, se você não falar com o doutor Milton, esse processo pode demorar e demorar. Nós temos que aproveitar que Deus nos deu a oportunidade de estar na Prefeitura para esses processos andarem. Temos que dar um fim nisso”, disse.

Em nota, a Prefeitura do Rio disse que a reunião citada “teve como objetivo prestar contas e divulgar serviços importantes para a sociedade, entre eles o mutirão de cirurgias de catarata e o programa sem varizes”. “Desde o início de sua gestão, o prefeito Marcelo Crivella já recebeu os mais diversos representantes da sociedade civil, para tratar dos mais variados assuntos, tanto em seu gabinete quanto no Palácio da Cidade”, informou a prefeitura, por meio de nota

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.