Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

'Críticas foram feitas com muita franqueza', diz Skaf

Candidato do PMDB criticou atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, durante o horário eleitoral

Matheus Coutinho, O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2014 | 18h48

Após afirmar em sua propaganda que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) não tem "tesão" para governar o Estado de São Paulo, o candidato do PMDB ao governo estadual Paulo Skaf afirmou que suas críticas foram feitas "com muita franqueza".

"Disse que ele (Alckmin) era uma pessoa simpática e educada, mas São Paulo precisa de mais que isso, precisade garra e vontade de enfrentar os problemas", disse. "Falei com muita franqueza, sinto que temos dois Estados, um com os gráficos do governo como se tudo estivesse bom, e o Estado verdadeiro onde tem problemas com saude educacao e segurança", continuou.

O candidato do PMDB passou o dia em passeatas pelo interior do Estado, pela manhã ele esteve na Feira Livre em Bragança Paulista. Na ocasião ele conversou com moradores e feirantes, perguntou sobre o preço dos produtos e os problemas da região. Ele chegou a comer banana e tomar caldo de cana junto com a população.

A presença de sua campanha, com pessoas com bandeiras e distribuindo adesivos provocou queixa dos feirantes, que reclamaram que a movimentação em torno do candidato afastava a clientela.

Skaf aproveitou a visita a Bragança para passar nas obras da escola técnica do Senai que deve ser entregue até o final do ano.

Depois, o candidato ainda passou por Atibaia. Desconhecido de grande parte do eleitorado, Skaf era apresentado às pessoas pelo prefeito Saulo Pedroso de Souza. O peemedebista tomou café e comeu um sanduíche de linguiça no mercado central.

O candidato ainda foi a Nazaré Paulista, Piracaia e Mairiporã.

Mais conteúdo sobre:
EleiçõesSkafPMDBSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.