Críticas do PcdoB à reforma são inaceitáveis, diz Genoino

A reforma da Previdência produz uma crise entre o PT e o PC do B, partido da base parlamentar do governo. O presidente do PT, José Genoíno, ficou irritado com o tom agressivo com que, segundo ele, parlamentares do PC do B têm-se dirigido aos petistas na discussão sobre a criação da contribuição previdenciária para os servidores inativos. "As críticas do PC do B são inaceitáveis, e vamos cobrar isso da direção do partido", afirmou Genoíno, pedindo a interferência da direção do PC do B, sobretudo do líder do governo na Câmara, Aldo Rebelo (PC do B-SP). O presidente do PT intensificou ações dentro de seu próprio partido para pacificar a bancada e tentar convencer os deputados a votarem a favor da cobrança aos inativos.Ontem, o governo comemorava, por exemplo, a adesão do líder do PT, Nelson Pellegrino (BA), à idéia de se instituir a taxação dos inativos. Pellegrino, mesmo não concordando com a medida, assumiu com o Palácio do Planalto o compromisso de apoiá-la. Ele teria se convencido depois de duas horas de conversa com o ministro da Previdência, Ricardo Berzoini. Todos os esforços agora serão direcionados a aplacar as resistências na esquerda e na ala moderada do PT. Essa missão vai até segunda-feira, quando a bancada se reunirá com Berzoini para ouvir esclarecimentos e tirar dúvidas sobre a reforma. Até lá, os líderes do PT ganham tempo para amenizar o clima de insatisfação criado entre os deputados com o fato de o presidente Lula ter encampado a cobrança dos inativos - um pedido dos governadores. Veja o índice de notícias sobre as reformas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.