Crítica de ministro do STF é 'inadmissível', diz Rands

Lula cobra reação da base aliada e líder do PT na Câmara parte para o ataque a Marco Aurélio Mello

Eugênia Lopes, de O Estado de S. Paulo,

29 de fevereiro de 2008 | 13h22

Horas depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter cobrado da base aliada reação às declarações de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que consideraram eleitoreiro o programa Territórios da Cidadania, o líder do PT na Câmara, deputado Maurício Rands (PE), partiu para o ataque e criticou o ministro Marco Aurélio Mello. Para o petista, as declarações do ministro do STF são "alarmantes, preocupantes e inadmissíveis".  Veja também:Tarso defende declarações de Lula sobre ministros do STFMinistro do STF se diz perplexo com agressividade de LulaLula se irrita e critica ministros do STF  Marco Aurélio disse que o programa do governo poderá ser contestado judicialmente por ter sido lançado em ano eleitoral. "Fiquei surpreendido ao ouvir a declaração do ministro Marco Aurélio Mello. É inadmissível que em um país com tanta desigualdade e injustiça social alguém possa se colocar contra um programa fundamental para a melhoria da condição de vida da população", afirmou Rands, em nota divulgada pelo PT.  Na quinta-feira à noite, em Aracaju, o presidente Lula cobrou dos deputados e senadores que fossem à tribuna para rebater "as sandices" que estão sendo ditas pelos ministros do STF. O Territórios da Cidadania foi lançado na segunda-feira e prevê investimentos de R$ 11,3 bilhões para reduzir a pobreza em áreas rurais de baixo desenvolvimento social.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaSTFMaurício Rands

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.