Cristovam lança campanha para senador

O ex-governador do Distrito Federal Cristovam Buarque (PT) já colocounas ruas sua campanha para concorrer ao Senado nas eleições de 2002. Pré-candidato a presidente da República caso LuizInácio Lula da Silva ficasse fora do pleito, ele abraçou a candidatura a senador diante da decisão do presidente de honra do PT detentar chegar ao Palácio do Planalto pela quarta vez.No próximo dia 3, o PT do Distrito Federal realizará prévias para definir os nomes que disputarão o governo distrital e uma dasvagas ao Senado ? a segunda deverá ser indicada por partidos que se coligarem ao PT.Defensor da realização de prévias,Cristovam disputa a vaga com o economista Chico Machado, membro da executiva regional do partido.?Brasília não é uma ilha. Quero trabalhar para Brasília dentro do contexto nacional?, disse nesta sexta-feira Cristovam, após participar dedebate sobre programas de bolsa-escola, na Universidade de Brasília (UnB).Correligionários do ex-governador distribuíram panfletos com suas propostas. Uma foto mostra o ex-governador cumprimentandoLula com um aperto de mão.?O PT tem todas as condições para eleger Lula nosso presidente em 2002. E o governo Lula vai precisar de ajuda dentro doCongresso e ao seu lado, no Executivo?, diz o texto.Responsável pela difusão nacional do bolsa-escola, adotado como prioridadedurante sua gestão no governo do DF, Cristovam tem na educação uma de suas princpais bandeiras.?Quero ser o senador das crianças?, afirmou ele.Favorável à realização de prévias no partido, ele vai participar de 13 debates, até o dia 3, com o outro postulante à vaga. Casotivesse optado por concorrer a governador, Cristovam seria o candidato de consenso.?Quem perde uma reeleição tem, em geral,que ceder a liderança para novos quadros?, diz o panfleto, que tem como título a pergunta ?Por que o Senado??.Sua desistência de disputar o governo do DF levou o PT a antecipar as prévias. Concorrem à indicação para candidato agovernador cinco nomes: a ex-vice-governadora do DF Arlete Sampaio, o deputado federal Geraldo Magela e os deputadosdistritais Lúcia Carvalho, Maria José da Conceição Maninha e Wasny de Roure.Cristovam Buarque disse acreditar que vai reverter em instâncias superiores a condenação por publicidade irregular, durante seumandato de governador.?Já recorri?, afirmou ele. ?Outros passaram por isso. Se você andar pelo Brasil vai ver, em cada Estado,que as placas dos governadores têm a marca do seu governo?, argumentou. ?Não é razão para cassação.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.