Enrique Marcarian / Reuters
Enrique Marcarian / Reuters

Cristina Kirchner diz que Lula vai ganhar eleições após decisão judicial

A ex-presidente da Argentina enviou sua solidariedade ao político brasileiro

O Estado de S.Paulo

06 Abril 2018 | 04h45

BUENOS AIRES - A ex-presidente da Argentina Cristina Fernandez Kirchner disse nesta quinta-feira, 05, que "ficou definitivamente claro" que Luiz Inácio Lula da Silva vai ganhar as próximas eleições brasileiras, depois que o STF rejeitou um "habeas corpus" apresentado por sua defesa para evitar a prisão imediata. Cristina fez a declaração pouco antes do pedido de prisão de Lula ter sido decretado pelo juiz Sérgio Moro. 

+++ AO VIVO: Moro ordena prisão de Lula

+++ Lula vai preso já? Lula pode se candidatar? Veja os cenários do ex-presidente condenado

"Hoje, no Brasil algo ficou definitivamente claro. Lula vai ganhar as próximas eleições presidenciais", escreveu Cristina em sua conta no Twitter um dia depois de o Supremo Tribunal Federal divulgar sua decisão, que é o primeiro passo do pedido de prisão de Lula, condenado a doze anos e um mês de prisão por corrupção.

Cristina fez referência às eleições gerais brasileiras previstas para outubro deste ano e para as quais o ex-presidente brasileiro encabeça as pesquisas de opinião.

+++ 'Lula é candidato, vamos registrá-lo em 15 de agosto', diz Lindbergh

A atual senadora argentina, que enviou sua solidariedade ao político brasileiro, também disse que era evidente que "as elites do poder, que nunca se interessaram pela justiça ou pela democracia, usam o aparelho judicial para sua proibição".

A defesa tentou evitar a prisão de Lula com um habeas corpus preventivo no STF, mas o pedido foi negado pelos ministros, por 6 votos a 5. Os advogados queriam que a pena só fosse cumprida após o trânsito em julgado do processo, ou seja, após encerradas todas as possibilidades de recurso nos tribunais superiores, o que foi rejeitado. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.