Crises internas serão principal tema do 3º Congresso do PT

A reunião do Diretório Nacional do PT que aprovou resolução com críticas à política monetária e demarcou o interesse do partido na composição do governo foi o pré-aquecimento para o 3º Congresso, marcado para julho, em Brasília.É nesse megaencontro que os dirigentes prometem fazer o acerto de contas interno e debater os rumos da legenda, atingida por uma sucessão de crises desde 2005, como a do mensalão e a do dossiê Vedoin.Instância máxima do PT, o congresso também deve antecipar, para o fim do ano, a eleição da cúpula do partido. "Precisamos discutir profundamente quais os métodos de direção que nos levaram a essas crises", afirmou o governador de Sergipe, Marcelo Déda. Ex-integrante do Campo Majoritário - grupo de centro no partido -, ele não se exime da responsabilidade. "Eu assumo minha parte na autocrítica."Na avaliação de Déda - que assinou o manifesto Mensagem ao Partido -, é preciso "desbloquear" o debate no PT. "Não podemos transformar o congresso num tribunal de inquisição, mas é nosso dever propor um código de conduta daqui para a frente", argumentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.