Crise nos Correios opõe Hélio Costa e Anastasia

Debate esquenta após tucano questionar por que rival levaria para seu governo o ex-chefe da estatal, recém-demitido, provocando troca de farpas

Eduardo Kattah / BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2010 | 23h42

A polêmica envolvendo a gestão nos Correios serviu como pano de fundo para o momento mais quente do debate com os candidatos ao governo de Minas realizado na noite da quinta-feira, 12, pela TV Bandeirantes. O clima até então morno foi quebrado no quarto bloco.

 

O governador Antonio Anastasia (PSDB), candidato à reeleição, questionou o principal adversário, Hélio Costa (PMDB), sobre a declaração dada no dia anterior, de que, se eleito, levaria para seu governo o ex-presidente da estatal, Carlos Henrique Custódio, nomeado pelo peemedebista – quando ministro das Comunicações – e demitido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva após atrasos na entrega de correspondências. "Ele acaba de ser demitido por ineficiência", disse o tucano, indagando se Costa, caso eleito, adotaria no Estado a gestão dos Correios, que vive "uma crise muito ruim".

 

"Tenho que dizer que além de mal informado, o senhor faz parte do lobby paulista que quer destruir o Correio", reagiu peemedebista, alegando que ele mesmo pediu que a estatal fosse reformulada. "O (ex) presidente dos Correios é um homem de bem e, se eu for eleito governador, vem para cá sim, porque é um homem sério, honesto."

 

Anastasia comentou a resposta com ironia: "Quem demitiu a diretoria, e o Brasil inteiro acompanha, a crise não fui eu, foi o presidente da República. Então ele também está mal informado como nós todos", disse. "É pena que haja essa referência porque precisamos muito em Minas e no Brasil de eficiência, de compromisso e de responsabilidade com os resultados. E é o que não se viu nesse caso." O peemedebista manteve o tom irritado. "Eficiência deve ser o seu governo, que achata salário de funcionário do jeito que achatou nesses últimos oito anos."

 

O candidato do PSOL, Luiz Carlos Ferreira, criticou a polarização da disputa no Estado. "Minas não merece ser refém de apenas duas candidaturas indesejáveis."

 

O evento reuniu 5 dos 7 concorrentes ao Palácio Tiradentes: além de Costa, Anastasia e Ferreira, participaram o candidato do PV, José Fernando Aparecido e Edilson José do Nascimento (PT do B). Ficaram de fora do debate os candidatos Fábio Bezerra (PCB) e Vanessa Portugal (PSTU), cujos partidos não têm representação no Congresso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.