Crise não afetará investimentos da Defesa, diz Jobim

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou hoje no Rio de Janeiro que a crise financeira internacional não atingirá os novos investimentos e aquisições das Forças Armadas. "A estratégia nacional da Defesa não coincide com a crise, que deverá durar um ou dois anos. Nós estamos falando de investimentos em 20 anos, ou seja, a médio e longo prazos", disse Jobim, que participou da comemoração do Dia Nacional da Aviação de Caça, na Base Aérea de Santa Cruz, na zona oeste da capital fluminense.

PEDRO DANTAS, Agencia Estado

22 de abril de 2009 | 17h28

De acordo com o ministro, a fabricante Helibras já encomendou às empresas a produção das peças para 50 helicópteros Super Cougar EC-725 que serão utilizados pelas Forças Armadas. "Todas as peças serão de fabricação nacional", declarou o ministro. Já a análise da Aeronáutica sobre a aquisição de novos aviões caça para a Força Aérea Brasileira (FAB) ficará pronta apenas em agosto. A construção de quatro submarinos no Porto de Itaguaí (RJ) está em fase final de análise dos financiamentos.

Tudo o que sabemos sobre:
defesacriseNelson JobimRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.