Crise impede reajuste salarial a policiais federais, diz ministro da Justiça

José Eduardo Cardozo afirma que o governo não tem 'a menor condição' de dar aumento neste ano e tenta fazer categoria desistir da ideia de paralisação

Daiene Cardoso, da Agência Estado

12 Setembro 2011 | 12h49

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, avisou nesta segunda-feira, 12, que o governo federal não tem condições de reajustar os salários dos policiais federais que discutem a possibilidade de decretar uma paralisação dos serviços. De acordo com o ministro, o agravamento da crise econômica mundial fez com que o governo decidisse vetar aumento ao funcionalismo público. "Este ano não temos a menor condição de ter aumento de salário para as categorias. A crise econômica exige do Brasil prudência e cuidado", justificou o ministro, após participar de evento sobre segurança pública para a Copa e a Olimpíada, promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O ministro ressaltou que o funcionalismo federal é peça-chave da administração pública e que o governo tem ciência disso. Mas, "tudo tem que ser feito dentro das possibilidades". Cardozo disse que o Ministério da Justiça tem mantido conversas com as entidades sindicais para dissuadi-los da paralisação e para discutir a possibilidade de reajustes a longo prazo. "O diálogo com as entidades sindicais terá de ser feito na perspectiva de um futuro", reiterou.

No evento sobre segurança pública para a Copa e a Olimpíada, o ministro garantiu que o País estará preparado para receber os dois eventos, embora tenha como desafio os grandes índices de violência. Para o ministro, a integração das políticas de segurança entre Estados, municípios e União é fundamental para acabar com os problemas que impedem uma política em comum. "A integração é peça fundamental, mas eu sei que há obstáculos", admitiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.