Crise faz parte da história do País, diz Waldir Pires

Ao comentar a crise de governabilidade sofrida pelo governo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ante à repercussão negativa do caso Waldomiro Diniz, o ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU) Waldir Pires, afirmou que este tipo de crise "faz parte de nossa história". "Eu as assisti (as crises de governabilidade), eu as vi, eu participei de muitas delas. É da tradição da democracia latino-americana, e da democracia brasileira viver crises sucessivas de governabilidade", afirmou, para em seguida completar: "Sobretudo quando em face deste governo, um governo que tem uma expectativa de mudança, e de transformação da vida do País. Faz parte da natureza das coisas, e estes altos e baixos nós vamos ter sempre", disse. Na avaliação do ministro, o governo vem enfrentando com firmeza e rapidez a crise vinculada ao ex-sub-secretário de Assuntos Parlamentares da Presidência da República. "O presidente Lula soube do caso por volta das nove, dez horas da manhã; e ao meio-dia, Diniz já estava demitido", lembrou, acrescentando que o governo exigiu rapidez na instauração do inquérito sobre o assunto. Ao comentar o fato de o governo tentar impedir a instauração da CPI dos Bingos, que investigaria mais profundamente o caso Diniz, Pires observou que a instauração de uma CPI é de responsabilidade da oposição, e não do governo, visto que a União tem todos os recursos para investigar um caso, no mesmo nível de uma comissão. "É um instrumento de oposição, de minoria. Mas legítimo", disse. Ele participou do "Fórum Sobre a Implementação de Políticas sobre Conflito de Interesses no Serviço Público", hoje no BNDES, no Rio de Janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.