''Crise é passageira'', diz Mendes

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, minimizou ontem os escândalos no Senado e o desgaste político do senador José Sarney (PMDB-AP), presidente da Casa. Segundo Mendes, a pressão em torno de Sarney deve passar logo. "As crises políticas no país normalmente são passageiras", afirmou. O ministro fez questão de ressaltar que o encontro com Sarney não foi agendado em função da crise política. "Esta audiência estava prevista há muito tempo. Conversamos sobre o Judiciário, sobre o pacto republicano e projetos de nosso interesse", explicou o presidente do STF. No front policial, o ministro da Justiça, Tarso Genro, disse ontem que as investigações da Polícia Federal sobre a edição de atos secretos e a suspeita de irregularidades na concessão de crédito consignado serão "feitas com todo rigor". "Toda investigação bem feita colabora para superar crises", disse Tarso na solenidade de formatura de aprovados no concurso da PF. ''A crise é questão interna do parlamento".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.