Crime organizado domina prisões, diz juiz

O juiz corregedor da Vara das Execuções Criminais, Octávio Machado de Barros Filho, criticou nesta quinta-feira medidas do governo para o problema das prisões. "Todos somos reféns do sistema penitenciário, que está dominado pelo crime organizado", disse. Ele fez as afirmações na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Sistema Prisional da Assembléia Legislativa. Para ele, a retirada dos policiais militares que fazem a guarda nos muros dos presídios é temerária. Sem os policiais, ele acredita, seria instalado o caos. Ele acredita que uma boa medida para melhorar o trabalho da Justiça seria diminuir o tempo que informações demoram para chegar. De acordo com ele, solicitações feitas à polícia chegam a demorar um ano e meio. Ele também criticou o governo, que em sua avaliação teria cometido um erro ao transferir para outros Estados líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC). De acordo com ele, a medida resultou na exportação de um mal para o resto do País. Barros Filho voltou a se posicionar contra a demolição da Casa de Detenção. Ele concorda com a desativação do presídio, mas acha que os prédios deveriam ser utilizados pelo Estado. Barros Filho afirmou que não anda com sua carteira funcional. Ele teme ser morto em um assalto caso o ladrão descubra que ele é juiz. O secretário da Administração Penitenciária de SP, Nagashi Furukawa, não respondeu às críticas por estar, de acordo com sua assessoria, em reuniões durante todo o dia em Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.