Crime cai em SP, mas índice de homicídio preocupa

A criminalidade em São Paulo viveu no primeiro semestre deste ano um momento de queda generalizada e de estabilização das ocorrências de homicídio em relação ao mesmo período de 2009. Se nos primeiros três meses do ano houve um aumento de 23% dos casos de assassinato na capital paulista, a tendência se inverteu no segundo trimestre, com uma queda de 12,6% - comparado com o ano passado, o acumulado do ano ainda tem uma alta de 2,6%.

AE, Agência Estado

22 Julho 2010 | 09h33

Ao se analisar a evolução mês a mês fica clara a tendência de queda, com o pico de aumento ocorrendo em janeiro e com o número mais baixo em junho - 72 casos na cidade, uma queda de 18% em relação a junho de 2009 (88 assassinatos). Junho, aliás, registrou índice de homicídios por 100 mil habitantes abaixo de 9, a menor da história.

Os roubos e furtos também conheceram quedas significativas na cidade a ponto de as cúpulas das Polícias Civil e Militar terem comemorado os dados. Os roubos na capital de São Paulo caíram 11,8% em relação ao mesmo período de 2009, quando foi registrado o recorde da série histórica iniciada em 1995 no Estado. Os furtos diminuíram 7,6%. Os roubos de automóveis ficaram 5,6% abaixo e os furtos de veículos tiveram redução de 6,5%.

Na análise dos policiais, além da recuperação econômica que vive o País, ações de prevenção e repressão ao crime desenvolvidas pelas duas polícias também teriam contribuído para a redução da criminalidade. Outro fator importante teria sido a diminuição da circulação de armas de fogo em São Paulo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
violência criminalidade índice homicídio SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.