Cresce protesto dos moradores do Palace 2

Moradores do edifício Palace 2 se dividiram entre Rio de Janeiro e São Paulo, hoje (27), para continuar protestando contra a decisão do juiz da 33ª Vara Criminal, Heraldo Saturnino de Oliveira, que absolveu o ex-deputado e dono da construtora Sersan Sergio Naya de culpa pelo desabamento do prédio. Alguns moradores foram até o Maracanã, onde foi realizada a final do Campeonato Estadual, com uma faixa pedindo justiça. Outros se deslocaram para São Paulo para participar do programa Domingão do Faustão. Vestidos com camisetas pretas que tinham a inscrição "S.OS. Palace 2", vítimas do desabamento que aconteceu no carnaval de 1998 entraram no gramado do Maracanã antes do início da partida entre Flamengo e Vasco. Na faixa que seguravam estava estampada a indignação com a senteça judicial."O Brasil e o Palace pedem justiça. Naya na cadeia". Segundo a presidente da Associação de Vítimas do Palace 2, a advogada Rauliete Barbosa Guedes, que esteve no programa do apresentador Fausto Silva com outros seis moradores do edifício, os advogados começam amanhã a elaborar a apelação da sentença. "É um recurso mais aprimorado e temos de trabalhá-lo bem", comentou. De acordo com Rauliete, os moradores vão continuar lutando por justiça. "Tem gente sem moradia até hoje. E, depois quem é que vai responder sobre as mortes?", questiona. Na manhã de sábado, os moradores fizeram um protesto no local onde havia o Palace 2, na Barra da Tijuca, zona oeste. O problema com o prédio ocorreu porque uma das colunas ruiu. Oito pessoas morreram, o prédio foi evacuado e as famílias dos 122 apartamentos não puderam mais voltar ao lugar nem para retirar os seus pertences. Após o desabamento parcial da construção, o prédio foi implodido pela defesa civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.