CPqD inaugura rede 400 vezes mais veloz do que banda larga

Vinte instituições de ensino e de pesquisa e desenvolvimento estão conectadas por internet em alta velocidade desde o dia 29 de abril. A interligação é pelo projeto Giga, inaugurado oficialmente hoje, em Campinas, com a presença dos ministros de Ciência e Tecnologia (MCT), Eduardo Campos, e das Comunicações, Eunício Oliveira. O projeto Giga é uma iniciativa do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), que é vinculada ao MCT. Com investimento de R$ 54 milhões, a rede Giga opera com transmissões de 2,5 até 10 gigabits por segundo. Essa velocidade é 400 vezes superior ao serviço ADSL, de 256 kilobits, conhecido como banda larga doméstica. De acordo com o ministro Eduardo Campos, este projeto constitui o maior sistema tecnológico da América Latina. "Temos compreensão de que é preciso dar um salto cultural para integrar os que conhecem muito a tecnologia com os que precisam conhecê-la",disse. A rede terá extensão de 750 quilômetros de fibra óptica, entre a cidade de Campinas e Petrópolis, no Rio de Janeiro. A Telefônica, Embratel, Telemar e Intelig forneceram parte das fibras ópticas que constituem a rede. Universidades, instituições de pesquisa, como Fiocruz, Inpe e Embrapa estarão interligadas ao projeto Giga. A rede, que funcionará com tecnologia IP sobre WDM, é o novo paradigma para a próxima geração de internet, ou seja, servirá de protótipo para uma internet comercial no futuro. Por enquanto, trata-se de uma rede fechada para uso exclusivo dos participantes para troca de projetos em alta definição. A telemedicina, por exemplo, é uma das aplicações que serão possíveis na rede Giga. Hoje representantes do Incor entraram ao vivo em videoconferência demonstrando transferência de arquivos de exames específicos durante a inauguração oficial do projeto Giga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.