Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

CPMI/Petrobras: Vital pede acesso à delação premiada

Vital quer que o juiz Sérgio Moro, responsável pela condução do caso, compartilhe com a comissão os depoimentos e os vídeos do ex-diretor, Paulo Roberto Costa

RICARDO BRITO, Estadão Conteúdo

08 de setembro de 2014 | 18h34

O presidente da CPI mista da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), apresentou nesta segunda-feira um pedido para que a Justiça Federal do Paraná dê acesso para comissão a todas as informações da delação premiada que está sendo feita pelo ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa. Vital quer que o juiz Sérgio Moro, responsável pela condução do caso, compartilhe com a comissão os depoimentos e os vídeos do ex-diretor.

Conforme antecipou o Broadcast Político, serviço da Agência Estado de notícias em tempo real, e o Estadao.com na sexta-feira, 5, Paulo Roberto revelou que pelo menos 32 deputados e senadores e um governador receberam propina em negociações de contratos na estatal. Os parlamentares recebiam 3% sobre o valor dos contratos. Entre os citados está o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Vital do Rêgo afirmou que a CPI mista já aprovou, no curso dos trabalhos de investigação, um requerimento que permite o compartilhamento com a Justiça paranaense de todas as informações da Operação Lava Jato, ação deflagrada em fevereiro pela Polícia Federal que levou à prisão de Costa. "É obrigação da CPI estar acompanhando para compartilhar o que a Justiça está fazendo e vice-versa", disse o presidente da comissão ao Broadcast Político.

Na quarta-feira pela manhã, 10, integrantes da CPI mista e líderes partidários devem se reunir no gabinete de Vital para discutir qual a melhor estratégia para cuidar do caso. Parlamentares da base e da oposição passaram a defender a presença de Paulo Roberto na CPI somente após ter tido acesso a todas as informações da delação premiada.

Eleições

O deputado Izalci Lucas Ferreira (PSDB-DF) defendeu hoje que a CPI mista da Petrobras realize o depoimento do ex-diretor da estatal antes do primeiro turno das eleições. Segundo o tucano, é importante para que a sociedade conheça o teor das informações que Paulo Roberto está prestando. Desde o dia 29 de agosto, o ex-diretor começou a revelar, na tentativa de conseguir um acordo de delação premiada, informações que envolvem políticos em um suposto esquema de recebimento de propina na Petrobras.

"É muito importante o depoimento dele (Paulo Roberto Costa), senão parlamentares envolvidos no esquema podem ser reeleitos", afirmou o parlamentar do PSDB. Para ele, a decisão de ouvir Paulo Roberto só depende do aval do presidente da CPI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), e do relator da comissão, deputado Marco Maia (PT-RS), uma vez que o colegiado já aprovou requerimento para convocá-lo. Ao contrário de alguns parlamentares da base e da oposição, Izalci é a favor de a CPI ouvir Paulo Roberto logo, independentemente de ter acesso às declarações prestadas por ele na delação premiada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.