CPMF tem segunda votação na Câmara na próxima semana

Se aprovada, proposta segue para o Senado, onde deve encontrar dificuldades para ser aprovada

Reuters

05 Outubro 2007 | 20h09

A votação em segundo turno da prorrogação da CPMF até 2011 pela Câmara dos Deputados vai atrair as atenções de parlamentares e do governo na semana que vem.   Veja também: Especial sobre a CPMF  'As pessoas estão pagando mais porque ganham mais', diz Lula   A sessão deve acontecer na quarta-feira, se o governo conseguir encaminhar antes a votação de duas medidas provisórias que trancam a pauta de decisões.   O ministro Walfrido Mares Guia (Relações Institucionais) foi para Paris na quinta-feira, mas na terça-feira já estará a postos em Brasília com a missão de arregimentar votos para a prorrogação.   Estão em jogo 38 bilhões de reais em receitas originárias da CPMF, que o Executivo argumenta não poder dispensar. A alíquota de 0,38 por cento está sendo mantida.   O primeiro turno foi realizado em setembro, quando a proposta recebeu 338 votos a favor e 117 contra. Depois da Câmara, a medida segue para o Senado, onde também será submetida a duas votações. É preciso três quintos dos votos nas duas Casas para aprovar a emenda constitucional.   'Imposto justo'   Também nesta sexta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a CPMF e disse que o tributo é "justo". Segundo Lula, se as "pessoas estão pagando mais é porque estão ganhando mais".   "A CPMF é um imposto justo. Quando vocês conversarem com alguém que faça críticas a carga tributária, perguntem a eles, que imposto aumentou? Eu poderia perguntar aqui para vocês, que imposto aumentou para o jornalista brasileiro, ou para quem vive de salários. Nenhum. Na verdade, é que as pessoas estão pagando mais, porque estão ganhando mais".  

Mais conteúdo sobre:
CPMF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.