CPMF pode passar a ser permanente

O governo decide hoje se a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) vai ser transformada em um tributo permanente. Essa é a mais ousada das alternativas estudadas para o tributo, entre as quais estão também a possibilidade de compensação com outros impostos, a isenção para o mercado de capitais e a simples prorrogação por mais dois anos, a contar a partir de julho de 2002. Esse é o mês limite em que expira a autorização para cobrança da CPMF, que atualmente rende R$ 18 bilhões anuais aos cofres da União. O modelo da contribuição sobre movimentações financeiras que o Executivo encaminhará ao Congresso na próxima semana será decidido hoje na reunião da equipe econômica com o presidente Fernando Henrique Cardoso, no Palácio da Alvorada. Leia mais

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.