CPMF: Mantega quer reduzir alíquota só em 2009

O PDT está fazendo exigências ao governo para aprovar a prorrogação da CPMF até 2011. O senador Osmar Dias (PDT-PR) afirmou que três dos cinco senadores do partido votarão contra a emenda se o governo não reduzir a alíquota da CPMF em 2008 e não mantiver a proposta de isenção da cobrança, para quem ganha até R$ 1.700. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, está resistindo à proposta do PDT de reduzir a alíquota a partir de 2008 e defende que seja apenas em 2009.No início da reunião, Mantega descartou a idéia da isenção, afirmando que o governo não poderia apoiar as duas propostas. "Queremos que o governo diga claramente quanto e quando vai reduzir a alíquota da CPMF. Nossa exigência é de que seja a partir de 2008", afirmou Dias. "Queremos sair da reunião com uma proposta concreta", acrescentou. Segundo o senador, a idéia de Mantega é reduzir de 0,38% para 0,35% a alíquota da CPMF a partir de 2009, e que seria a partir de medida provisória, a ser encaminhada ao Congresso Nacional até o final do ano. O governo também se comprometeria com a redução de gastos correntes, mas segundo Osmar Dias, nada foi detalhado.

CIDA FONTES E ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

13 de novembro de 2007 | 12h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.