CPMF é uma questão de 'consciência dos senadores', diz Lula

Presidente diz que não faz apelo, mas lembra que os recursos do tributo aos Estados 'não é pouca coisa'

Adriana Fernandes, do Estadão,

14 de novembro de 2007 | 16h46

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira, 14, que a aprovação da proposta de prorrogação da CPMF no plenário do Senado é uma questão de consciência dos senadores. Deixando claro que não estava fazendo um apelo aos senadores, o presidente disse que "não é pouca coisa" os recursos da CPMF que são destinados aos Estados.  "Os senadores haverão de refletir sobre isso. Portanto, nós temos tempo ainda para que eles se posicionem", afirmou. Lula ressaltou que não se faz política apelando. "O projeto está lá. Todo senador conhece a realidade do Brasil e dos seus Estados. Até porque muitos desses senadores foram governadores e sabem o quanto os estados precisam do dinheiro", afirmou. O presidente destacou: se os senadores entenderem que a CPMF não tem importância, votem contra; mas que se entenderem sua importância, votem a favor. Afinal de contas, os senadores estão aí cumprindo determinação constitucional e representando pacto federativo do Brasil". Mais uma vez, o presidente disse que não é preciso ter preocupação com a decisão do Senado: "vivemos num país democrático onde as instituições funcionam. Tem hora que a gente perde, tem hora que a gente ganha".Avaliou ainda que já se passou a época de discussão e marcação de posição em relação à CPMF.  Lula acredita que nos próximos dias cada senador vai fazer uma reflexão do quanto dinheiro da CPMF vai para os Estados e o quanto será destinado com os R$ 24 bilhões adicionais previstos na regulamentação da emenda 29, que definiu os recursos para a área de saúde. O presidente disse que a proposta do governo é a que foi apresentada na última terça pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. "A proposta foi feita e é esse o acordo", definiu.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaCPMF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.