CPMF causa tensão en reunião da Executiva do PSDB

O clima de tensão entre deputados e senadores ficou claro ontem durante reunião da Executiva Nacional do PSDB, quando entrou em discussão a emenda constitucional que renova a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) até 2011. Pressionados pelos governadores tucanos para votarem a favor do tributo, os senadores da legenda foram cobrados pelos deputados para fecharem questão contra a CPMF. As posições mais radicais partiram dos deputados Alfredo Kaefer (PSDB-PR) e Waldir Neves (PSDB-MS), que pediram para os senadores não participarem amanhã de um almoço com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para negociar a CPMF. Além de condenarem o encontro, uma vez que o governo não quis negociar com os deputados do partido quando o tributo foi votado na Câmara, ambos pediram aos senadores que votem contra a prorrogação. O presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), que amanhã sentará à mesa com Mantega, juntamente com os senadores Sérgio Guerra (PSDB-PE) e Arthur Virgílio (PSDB-AM), ponderou que a bancada não poderia recusar um convite do governo para conversar e que a idéia era se limitar a ouvir o que o ministro tem a dizer. Depois de muita discussão, o clima de rebeldia foi debelado e, ao final, decidiu que o grupo de senadores iria ao almoço.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.