CPMF: Cassol diz convencer senador será trabalho difícil

O governador de Rondônia, Ivo Cassol (sem partido), afirmou que será um trabalho difícil convencer o senador Expedito Júnior (PR-RO) a votar a favor da emenda constitucional que prorroga a cobrança da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) até 2011, mas ponderou que "está em jogo" o interesse do Estado de Rondônia e do Brasil. Ao deixar o Ministério da Fazenda, onde se reuniu com o ministro Guido Mantega, o governador disse que seria mais fácil a aprovação da CPMF se toda a sua arrecadação fosse destinada à saúde. Cassol se reuniu com o ministro para negociar a revisão da dívida que o Estado tem, remanescente do extinto banco do Estado de Rondônia (Beron). Segundo ele, o ministro viu "com bons olhos" a revisão da dívida. Mas disse que há uma preocupação do governo com o efeito cascata da extensão dessa medida em outros Estados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.