CPI tem sessão esvaziada para ouvir funcionários da Petrobrás

Ao todo, seis depoimentos de servidores e ex-servidores da estatal estão previstos para esta quarta-feira

DAIENE CARDOSO, O Estado de S. Paulo

10 de junho de 2015 | 16h21

Brasília - Em uma sessão esvaziada, a CPI da Petrobrás ouviu nesta tarde o segundo dos seis depoimentos previstos para esta quarta-feira, 10, de funcionários e ex-funcionários da estatal. O segundo a depor foi Heyder de Moura Carvalho Filho, ex-gerente de compras para empreendimentos da área de Abastecimento da Petrobras.

Os deputados deram início à oitiva de Nilton Maia, gerente jurídico de Gestão e Desempenho da estatal. No depoimento, Heyder contou que trabalhou no Comperj e foi afastado de forma "preventiva" após o escândalo da Operação Lava Jato, mas que nada foi provado contra ele.

Heyder trabalhou por 35 anos na estatal e hoje é aposentado. O ex-gerente negou indicação política para função e lamentou a situação pela qual passa a empresa hoje. Ele disse que não se pode permitir que o patrimônio da companhia seja dilapidado. "É uma situação que não traz alegria a nenhum petroleiro. É um patrimônio que a gente tem de buscar preservar", defendeu.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Lava JatoCPI Petrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.