CPI suspeita que Usiminas abasteceu valerioduto

A Usiminas entrou definitivamente na pauta da CPMI dos Correios. O relator da comissão, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), afirmou nesta segunda-feira que a comissão já solicitou os documentos contábeis da empresa para checar a movimentação financeira. Segundo ele, é possível que muitos recursos tenham sido direcionados para empresas do publicitário Marcos Valério, o que poderia indicar mais um caminho nas investigações. "Alguns deputados afirmaram que receberam recursos da Usiminas, ao mesmo tempo a empresa nega, então vamos cruzar os dados para saber a quem foi mandado o dinheiro e onde ele foi parar", disse. Um dos indicativos de que o dinheiro tenha passado pelo "sistema Marcos Valério", conhecido como valerioduto, é o fato dos deputados Romeu Queiróz, Roberto Brant e João Magno terem afirmado à comissão que receberam dinheiro da empresa. "Pedimos urgência na liberação dessa documentação. Queremos saber o movimento contábil desde os últimos cinco anos", afirmou.Duda MendonçaSerraglio viaja nesta noite para Nova York e em seguida irá para Washington, acompanhado dos relatores-adjuntos Eduardo Paes (PSDB-RJ) e Maurício Rands (PT-RS) em busca de informações sobre outro investigado pela CPMI, o publicitário Duda Mendonça. O objetivo da viagem, segundo Serraglio, é visitar a Promotoria Distrital em Nova York e o Financial Crime Enforcement para conseguir autorização para utilizar os dados que já estão em poder do Ministério Público e da Polícia Federal sobre as movimentações bancárias de Duda. "Infelizmente, nos informaram que as pessoas que forneceram dados para a CPI do Banestado passaram por momentos ruins, então vamos lá para mostrar que os objetivos são diferentes".Além da investigação das suas contas, Duda deve comparecer na próxima semana para prestar mais depoimentos. "Dessa vez ele será convocado e poderá explicar melhor todas essas movimentações, fato que não ocorreu na primeira vez, quando ele esteve na comissão".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.