CPI sobre telefonia investigaria contratos desde 1997

A proposta do deputado Daniel Almeida (PCdoB da Bahia) de criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito sobre telecomunicações tem como foco a investigação de todos os contratos assinados pela Anatel desde 1997, tanto para telefonia fixa como celular. Após ter recebido apoio do ministro das Comunicações, Miro Teixeira,Almeida disse que tem 174 assinaturas de apoio à CPI. Segundo ele, a lista inclui deputados de todos os partidos, mas a maioria deles é da base parlamentar do governo no Congresso. "Há uma receptividade muito grande à proposta", afirmou Almeida.Na noite de ontem, o deputdo conversou com o presidente do Tribunal de Contas da União, Valmir Campelo, que colocou sua estrutura técnica à disposição da CPI, caso ela venha a ser instalada pela Câmara dos Deputados. O deputado do PC do B disse que também já conversou com os líderes partidários do PT, PC do B, PSB, PP e PDT que considerariam "a proposta de CPI pertinente". Até a próxima quarta-feira, Almeida pretende convencer os líderes partidários sobre a necessidade de que a CPI seja instalada imediatamente, sem entrar na fila das CPIs, já que o regimento da Câmara só permite funcionamento simultâneo de cinco comissões. "Os contratos estão sendo mal interpretados ou interpretados apenas nos aspectos que respeitam as empresas", afirmou o deputado, ponderando que o Poder Público, os consumidores e a sociedade não têm sido respeitados pelos contratos.

Agencia Estado,

03 de julho de 2003 | 12h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.