CPI rejeita convocação de vice-governador do RS

Feijó deflagrou crise na administração de Yeda Crusius ao divulgar gravação sua com o ex-chefe da Casa Civil

SANDRA HAHN E ELDER OGLIARI, Agencia Estado

16 de junho de 2008 | 17h38

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga esquema de fraude no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) gaúcho rejeitou pedido de convocação para ouvir o vice-governador do Estado, Paulo Feijó (DEM). O vice deflagrou crise na administração de Yeda Crusius  ao divulgar gravação de uma conversa sua com o ex-chefe da Casa Civil Cézar Busatto (PPS) em que o então secretário abordava financiamento de campanha com uso de estatais. Mas embora tenham recusado a convocação, os deputados autorizaram o presidente da CPI, Fabiano Pereira (PT), a convidar Feijó a comparecer à comissão. Pereira informou que fará o convite.    Veja também: Gravação de conversa abre crise no governo Yeda, no RSDeputados do PT pedem saída de governadora do RSPP e PMDB rompem com chefe da Casa Civil do RSNesta segunda-feira, os deputados aprovaram a convocação do ex-chefe do escritório do Rio Grande do Sul em Brasília Marcelo Cavalcante. Ele recebeu uma carta do empresário tucano Lair Ferst que falava do esquema no Detran e se dizia pressionado por pessoas corruptas. Os parlamentares também rejeitaram pedido para ouvir novamente o ex-presidente do Detran Flávio Vaz Netto. Os integrantes da comissão ouvem hoje o ex-secretário-geral de Governo Delson Martini, citado em escutas telefônicas realizadas pela Polícia Federal (PF).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.