CPI pede lista dos titulares que sacaram dinheiro com cartão

Aprovado requerimento ao governo federal solicitando o envio da lista; oposição quer acesso a dados sigilosos

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado,

01 de abril de 2008 | 11h18

A reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Mista dos Cartões Corporativos aprovou nesta terça-feira, 1, requerimento ao governo federal solicitando o envio de uma lista com o nome dos titulares de cartões corporativos que efetuaram saques, com exceção dos que estiverem protegidos pelo sigilo.   Veja também: CPI terá dados que complicam ministros de Lula e FHC Documento do TCU não sustenta versão sobre 'banco de dados' Planalto vai tirar Dilma da 'vitrine eleitoral' para 2010 Dossiê contra FHC foi decisão de governo CPI dos cartões: quem ganha e quem perde?  'Candidatura de Dilma em 2010 está morta', diz analista  Os ministros caídos  Entenda a crise dos cartões corporativos  IMAGENS: Os momentos de 'amor e ódio' de FHC e Lula    Pouco antes disso, a oposição cobrava da base aliada um acordo para que a comissão tenha acesso a dados considerados sigilosos sobre gastos com cartão corporativo e contas tipo B da Presidência da República, tanto no governo Lula quanto no governo Fernando Henrique Cardoso.   Em resposta aos apelos da oposição, o deputado federal Paulo Teixeira (PT/SP) foi enfático ao dizer que o sigilo das informações tem proteção legal e que, sem motivação, a CPI não pode aprovar a sua quebra. "A quebra do sigilo é medida extrema e não pode ser banalizada. Não podemos inverter a ordem: ter material para depois achar alguma", disse o deputado.   A presidente da CPI, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), respondeu ao deputado dizendo que nenhuma CPI é instaurada para bisbilhotar dados. "Se não houvesse indícios de irregularidades, não haveria possibilidade de nós estarmos aqui", afirmou a presidente.   Visanet   Durante as votações, os membros da CPI aprovaram requerimento apresentado pelo senador José Nery (PSOL-PA) de informações ao governo federal sobre o processo licitatório que resultou na escolha da Visanet como operadora dos cartões corporativos. Também foram acolhidos dois requerimentos apresentados pelo deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), relator do colegiado, solicitando ao Banco do Brasil e ao Banco Central a disponibilização de técnicos para assessorar os trabalhos da comissão.   Na pauta da reunião desta terça constam 53 requerimentos de pedidos de informações sobre o uso de cartões corporativos por ministérios, secretarias e diversos outros órgãos do governo federal e do Tribunal de Contas da União; e dois pedidos de funcionários para assessoramento da comissão.

Tudo o que sabemos sobre:
Cartões CorporativosCPI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.