CPI pede a Jobim que reveja veto a quebra do sigilo

O presidente e o senador da CPI dos Bingos, senadores Efraim Morais (PFL-PB) e Garibaldi Alves (PMDB-RN), pedirão hoje ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Nelson Jobim, que reconsidere a decisão de proibir a comissão de quebrar o sigilo bancário do presidente do Sebrae, Paulo Okamoto e do empresário Roberto Carlos Kurzweil. Recentemente, Jobim concedeu liminar impedindo a quebra dos sigilos de Okamoto, que afirma ter pago ao PT dívida do então candidato presidencial Luiz Inácio Lula da Silva com o partido no valor de cerca de R$ 29.000. A dívida, de acordo com suspeita da CPI, corresponderia a um empréstimo do PT a Lula feito com recursos do Fundo Partidário, o que é ilegal por se tratar de dinheiro público. No Congresso, a decisão de Jobim a favor de Okamoto e outras liminares concedidas pelo ministro a acusados que prestaram depoimentos em CPIs causaram polêmica, e muitos parlamentares avaliam que o presidente do Supremo Tribunal estaria interferindo no Legislativo. Segundo informação da Assessoria da CPI dos Bingos, Efraim Morais e Garibaldi Alves entregarão a Jobim uma série de documentos para justificar o pedido de quebra do sigilo de Okamoto. Quando afirmou à CPI dos Bingos que havia pago a dívida de Lula, Okamoto não apresentou os recibos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.