CPI não deve investigar Serra e José Dirceu, diz Gabeira

O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) disse, nesta segunda-feira, 31, que a CPI dos Sanguessugas deverá convocar para depor, depois das eleições de outubro, os ex-ministros da Saúde Saraiva Felipe e Humberto Costa, candidato ao governo de Pernambuco. Mas disse que os ex-ministros José Serra, que comandou a Saúde no governo FHC, e José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil no governo Lula, não serão investigados.Gabeira adiantou a informação ao confirmar a criação de uma sub-relatoria para investigar a eventual participação do Poder Executivo no esquema de fraudes envolvendo a compra superfaturada de ambulâncias.O relator da CPI, senador Amir Lando (PMDB-RO), indicou para os cargos de sub-relatores os deputados Gastão Vieira (PMDB-MA), Júlio Redecker (PSDB-RS) e senador Flávio Arns (PT-PR).Fernando Gabeira observou que em todas as investigações, a única menção ao ex-ministro da Saúde e candidato do PSDB ao governo paulista, José Serra é apenas de um dos integrantes da máfia que demonstrou seu interesse na vitória do candidato nas eleições em São Paulo. Por isso, afirmou Gabeira, Serra não deverá ser convocado para prestar depoimento.No entanto, a deputada Vanessa Graziottin (PC do B-AM) é favorável à convocação de Serra sob o argumento de que o esquema dos sanguessugas é antigo e foi montado em 1999, no governo de Fernando Henrique Cardoso."O Serra até agora não foi citado, mas pouco me importa se é ligado a A, B ou C", disse o vice-presidente da CPI, deputado Raul Jungmann (PPS-PE). "Se é sanguessuga, pau nele, convoque-se e puna-se, independente de nome ou de governo."Sobre Dirceu, Gabeira classificou como "uma forçação de barra" tentar envolver o ex-ministro José Dirceu com o esquema dos sanguessugas. "Como em todos os governo, o atual só pagava emendas para aqueles que o apoiavam. Esse era o papel da Casa Civil. Qualquer ilação ao José Dirceu é forçação de barra".Além do Ministério da Saúde, a CPI dos Sanguessugas tem informação de que o esquema também atuaria nos ministério da Ciência e Tecnologia, Educação e das Comunicações.Nesta terça, a CPI deverá ouvir, em sessão reservada, o depoimento do empresário Luiz Antonio Vendoin, sócio-proprietário da Planam, apontado como chefe da máfia dos Sanguessugas.Esta matéria foi atualizada às 21h13

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.