CPI não descarta acareação entre acusados de vazar dossiê

Presidente da comissão diz que vai esperar depoimentos para decidir se 'há necessidade de acareação'

Agência Senado

19 de maio de 2008 | 19h08

A presidente da CPI Mista, Marisa Serrano, não descarta a hipótese de uma acareação entre José Aparecido Nunes Pires e André Fernandes acusados de vazar o suposto dossiê sobre gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No entanto, a senadora disse que só após ouvir os depoimentos dos envolvidos será possível aos parlamentares decidir se há necessidade ou não de realizar uma acareação entre ambos.  Veja também:CPI aprova perícia em computador de assessor de tucanoVeja o dossiê com dados do ex-presidente FHC  Entenda a crise dos cartões corporativos  Dossiê FHC: o que dizem governo e oposição Oposição anuncia nova ofensiva para levar Dilma à CPIDefesa de acusado de fazer o dossiê irá mirar braço direito de Dilma Aparecido, que é ex-secretário de Controle Interno da Casa Civil, foi indiciado na última sexta-feira por quebra de sigilo funcional. Fernandes, assessor do senador tucano Álvaro Dias, teria vazado o documento para a imprensa.O depoimento de ambos está previsto para esta terça-feira, na CPI dos cartões corporativos.  Nesta segunda, a defesa de Aparecido entrou com  novo recurso no Supremo Tribunal Federal para reconsiderar o pedido de habeas-corpus negado na semana passada, informou a assessoria do órgão ao estadao.com.br. " A decisão pode acontecer a qualquer momento, mas não há sessão no Supremo marcada para esta tarde", disse a assessoria.   

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.