CPI mista da Petrobrás quer ouvir ex-diretor na próxima quarta

Comissão marca novo depoimento após revelação de que Paulo Roberto Costa teria delatado esquema de pagamento de propina a políticos

Ricardo Brito, Agência Estado

10 de setembro de 2014 | 12h50

Brasília - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista da Petrobrás marcou para a próxima quarta-feira, 17, o depoimento do ex-diretor de abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa. A decisão foi tomada nesta quarta-feira, 10, em uma reunião de integrantes da comissão, com a presença de líderes partidários no gabinete do presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). Desde 29 de agosto, o ex-diretor está fazendo prestação de depoimento, na forma de delação premiada, no Paraná, supostamente envolvendo políticos da base aliada em um esquema de recebimento de propina na Petrobrás.

A comissão já havia aprovado um requerimento de convocação de Costa e aproveitou essa medida para efetivamente convocá-lo. O senador Vital do Rêgo informou, ainda, ao final da reunião, ter tomado outras duas providências para apurar a situação envolvendo as denúncias do ex-diretor da petroleira. A primeira medida foi ter enviado ofício ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, e ao juiz federal Sérgio Moro, pedindo o compartilhamento dos dados referentes ao acordo de delação premiada firmado com Costa. A segunda medida foi pedir uma audiência com Zavascki para discutir o caso que, por envolver parlamentares, deverá ser analisado pelo Supremo, caso sejam confirmados indícios de envolvimento. Os integrantes da CPI mista querem o respaldo do Supremo para a decisão de ter acesso à delação premiada.

O presidente da CPI mista disse que precisa ouvir o mais rápido possível Paulo Roberto Costa. Já o líder do PMDB na Câmara, deputado Eduardo Cunha (RJ), afirmou que o depoimento do ex-diretor de abastecimento, sem a conclusão de todo o processo de delação premiada, pode por inócuo. "Ele pode vir aqui e não falar nada", apontou Cunha. "É um gesto que o Congresso não pode deixar de fazer", afirmou o presidente do DEM, senador Agripino Maia (RN).

Na tarde desta quarta, a partir das 14h30, a CPI mista deve ouvir outro ex-diretor internacional da Petrobrás, Nestor Cerveró, e os parlamentares podem aproveitar a oportunidade para votar requerimentos.

Tudo o que sabemos sobre:
petrobrásPaulo Roberto Costa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.