CPI investigará convênios suspeitos no Maranhão

A Assembleia Legislativa do Maranhão deverá instalar uma Comissão Parlamentar de Investigação (CPI) para apurar fatos sobre o suposto desaparecimento de R$ 73,5 milhões de três convênios assinados entre o governo estadual e o municipal em 2009, ainda no governo de Jackson Lago (PDT). Os convênios eram para execução de obras de infraestrutura viária na capital.

ERNESTO BATISTA, Agência Estado

01 de dezembro de 2011 | 18h41

Ao todo, 24 deputados assinaram o pedido de instalação da CPI, que foi batizada de CPI da Corrupção. Porém, os trabalhos ainda não começaram por causa da ocupação que os policiais militares fazem no parlamento estadual a nove dias. No entanto, há informações que, mesmo sem haver nenhuma sessão ordinária na Assembleia Legislativa maranhense, já há indicação de nomes para compor a comissão.

A instalação desta CPI é mais um capítulo da novela da disputa pela Prefeitura de São Luís. De um lado o grupo ligado a governadora Roseana Sarney, que tenta viabilizar o atual secretário estadual de Infraestrutura Max Barros (PMDB) e do outro o atual prefeito João Castelo (PSDB), que é o alvo da CPI da Corrupção.

O grupo de deputados estaduais que fazem oposição ao governo estadual tenta se movimentar e ampliar o alcance das investigações para apurar denúncias de problemas em convênios assinados com outras prefeituras, no interior do Estado. No entanto, o próximo capítulo só terá prosseguimento quando os policiais e bombeiros militares grevistas desocuparem o parlamento estadual.

A Prefeitura de São Luís informou, por meio de nota, que os convênios foram suspensos quando Roseana Sarney assumiu o governo, depois que o pedetista foi cassado. "Ao assumir o Governo do Maranhão, a Governadora Roseana Sarney Murad decidiu cancelar os convênios e, por meio de ações judiciais, requereu aos municípios a devolução dos recursos.", dizia a nota. A Prefeitura de São Luís informou ainda que respondeu aos questionamentos feitos na justiça, que espera uma decisão judicial sobre os convênios e que o dinheiro não foi usado.

Tudo o que sabemos sobre:
MARANHÃOINVESTIGAÇÃOCPI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.