CPI fará acareação entre Waldomiro e Cachoeira

A CPI da Loteria do Rio de Janeiro na Assembléia Legislativa fará uma acareação entre o ex-assessor da Casa Civil, Waldomiro Diniz, e o bicheiro Carlos Cachoeira. A decisão foi anunciada pelo presidente da Comissão, deputado Alessandro Calazans (PV), após o depoimento de mais de seis horas de Waldomiro à CPI. De acordo com Calazans, "ambos já concordaram com esta possibilidade". Segundo ele, como os depoimentos dos dois foram contraditórios há a necessidade da acareação. O deputado disse que os principais pontos que ficaram "confusos" são referentes ao ex-assessor de Waldomiro, Armando Dili. "Pelo que o Cachoeira tinha dito, parecia que o Dili era um laranja que operava a mando de Waldomiro Diniz. Mas hoje isso não ficou tão claro. E é preciso esclarecer esta versão", disse.Outro ponto que será investigado é a declaração de Waldomiro Diniz de que enquanto era presidente da Loterj, recebia, além do salário de R$ 4 mil, mais R$ 8 mil a título de "ajuda de custo" da Fundação de Amparo à Pesquisa Tecnológica de Petrópolis. Durante o depoimento, Diniz chegou a admitir que esta verba não foi declarada em seu Imposto de Renda. "Ainda não sabemos qual o instrumento que a CPI poderá usar para investigar esta fundação e sua ligação com a Loterj", disse.Segundo informações do Ministério Público, foi cancelado o depoimento de Waldomiro Diniz, marcado para hoje às 14h30 no Rio, já que o depoimento dele na CPI da Loterj durou mais tempo do que o esperado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.