CPI é encerrada sem votação sobre convocação de Abel Pereira

A CPI dos Sanguessugas se reuniu nesta terça-feira, mas não conseguiu votar os mais de 200 requerimentos de pauta que constam da agenda no Senado. A líder do PT no Senado, senadora Ideli Salvatti (SC), chegou a acusar a oposição de "tumultuar" a sessão, alegando que seriam votados requerimentos que prejudicariam os interesses eleitorais dos oposicionistas.Um desses requerimentos previa a convocação do empresário Abel Pereira, acusado de ter atuado no Ministério da Saúde como intermediário da Planam (empresa organizadora da máfia das ambulâncias) quando o ministro era Barjas Negri, ligado ao PSDB e substituto de José Serra. Ideli Salvatti evitou assumir posição a favor ou contrária ao comparecimento à CPI dos quatro ex-ministros da Saúde convidados pela comissão. Do governo Lula, Humberto Costa e Saraiva Felipe; e do governo FHC, José Serra e Barjas Negri.A sessão da CPI dos Sanguessugas foi encerrada pelo seu presidente, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), antes da votação. Biscaia disse que o presidente do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), estava determinando o final da sessão da comissão para que seus integrantes pudessem participar de reunião deliberativa do plenário da Casa."Espero que todos os que receberam convite venham se explicar. Se, antes do segundo turno, ou não, essa é uma prerrogativa que não é minha, e sim do presidente da CPI e do relator", afirmou Ideli Salvatti. Na verdade, a prerrogativa de comparecer, quando há um convite, é do convidado.O líder da Minoria na Câmara, deputado José Carlos Aleluia (BA), afirmou que, havendo possibilidade, todos deveriam ser ouvidos antes do segundo turno. Aleluia destacou que a transformação da convocação dos ex-ministros em convite se deu porque não se poderia confundir a presença deles para esclarecimentos com a convocação do presidente licenciado do PT, deputado Ricardo Berzoini, e de integrantes do comitê de campanha de Lula, que terão de explicar o episódio da montagem do dossiê por petistas contra candidatos do PSDB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.