CPI dos Sanguessugas adia depoimento de Gedimar

O depoimento Gedimar Passos, um dos envolvidos na tentativa de compra de um dossiê contra políticos tucanos, à CPI dos Sanguessugas, foi adiado. Ele deveria ter sido ouvido nesta terça-feira, mas apresentou atestado médico para justificar sua ausência. Depoimento poderá ser remarcado para próxima semana.Valdebran Padilha foi ouvido na CPI nesta manhã e negou ter participado das negociações financeiras para a compra. Gedimar e Valdebran foram presos, em 15 de setembro, em um hotel em São Paulo com parte dos R$ 1,75 milhão que seriam usados na compra do material pelo PT. Em seu depoimento, Valdebran disse que as negociações ficaram a cargo de Gedimar Passose de Expedito Veloso, ex-diretor do Banco do Brasil e envolvido na operação. Padilha disse à CPI que sua participação no episódio se deu por causa de sua amizade com a família Vedoin. Os irmãos Vedoin são apontados como responsáveis pela montagem do dossiê. A CPI ouve ainda esta terça-feira Jorge Lorenzetti ex-integrante da campanha pela reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e citado pela Polícia Federal como responsável por toda a operação de tentativa de compra do dossiê.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.