CPI dos planos de saúde reduz diferença de preço por idade

O relatório da CPI dos Planos de Saúde, que deverá ser submetido nesta terça-feira para votação na Câmara dos Deputados, preservou um dos itens mais polêmicos: a redução da diferença de preço das mensalidades por faixa etária. Pela proposta do relator Ribamar Alves (PSB-MA), a diferença de mensalidades dos planos de saúde entre a primeira e a última faixa não pode ser superior a 100%. Hoje, a diferença pode variar até 500%. Com essa regra, as mensalidades de pessoas mais jovens poderão sofrer um aumento significativo.O presidente da CPI, Henrique Fontana, já disse ser favorável à fixação do limite de 100%, por proporcionar maior previsibilidade ao setor. O deputado tem afirmado que, justamente quando o consumidor mais precisa, em idade mais avançada, ele é submetido a mensalidades mais caras. Com os 100%, os custos seriam diluídos entre usuários de todas as idades.Para o presidente da Associação Brasileira de Medicina de Grupo, Arlindo Almeida, com essa regra, pessoas mais jovens perderão o interesse de ingressar ou manter um plano de saúde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.