CPI dos Grampos adia depoimento de Protógenes

O depoimento do delegado Protógenes Queiroz na CPI dos Grampos, que estava marcado para amanhã, foi adiado no final da tarde de hoje pelo presidente da CPI, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ). Motivo: os parlamentares querem ouvir o delegado em dia próximo ao do depoimento do ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) Paulo Lacerda, que falaria no Congresso na quinta-feira. O ex-diretor da Abin, hoje adido policial em Portugal, alegou dificuldade de vir ao Brasil e solicitou a transferência para a semana que vem. A ideia da CPI agora é que Protógenes seja ouvido no dia 8 e Lacerda, um dia depois.

ANA PAULA SCINOCCA, Agencia Estado

31 de março de 2009 | 19h26

Na semana passada, o ex-chefe da Operação Satiagraha - que resultou na prisão temporária do banqueiro Daniel Dantas - esteve no Congresso costurando apoio com senadores e deputados, e demonstrando preocupação com a possibilidade de sair preso da CPI. O temor o levou a recorrer na segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) para solicitar um habeas-corpus preventivo para ficar calado no depoimento.

Entre as principais perguntas que a CPI quer fazer ao delegado estão, segundo o deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR), as dúvidas em relação à existência ou não de orientação da Presidência da República na Satiagraha e qual a amplitude da investigação. "Também é preciso ter a resposta para perguntas como quais as razões o motivaram a recorrer a pessoas estranhas ao sistema de investigação, como aposentados, para fazer investigação de inteligência", disse o deputado tucano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.