CPI dos Fiscais vai indicar investigação de empresas

A CPI dos Fiscais da Assembléia Legislativa fluminense, que investigou durante três meses um suposto esquema de corrupção que teria gerado o envio de US$ 33,4 milhões para a Suíça, vai indicar ao Ministério Público, em seu relatório final, indícios para que investigue várias empresas por corrupção ativa.Segundo o presidente da comissão, deputado Paulo Melo (PMDB), um dos motivos da suspeita é o grande número de telefonemas trocados entre alguns suspeitos e executivos, por meio de aparelhos fixos residenciais e celulares privados fora dos horários de serviço. ?Não existe corrupto sem corruptor?, disse Melo, que divulgará seu relatório nesta segunda-feira à tarde, na Assembléia.O trabalho também pedirá o indiciamento de pelo menos 30 pessoas, em crimes que vão desde concussão (extorsão praticada por funcionário público) à formação de quadrilha, e fará sugestões de mudanças na estrutura do sistema de fiscalização tributária, para garantir mais transparência e controle dos funcionários.Veja o índice de notícias sobre a corrupção no Rio

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.