CPI dos Correios deve votar relatório nesta quarta-feira

Os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da CPI Mista dos Correios, senador Delcídio Amaral (PT-MS), o relator da comissão, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), e demais integrantes terminaram reunião e marcaram para amanhã, em princípio, a votação do relatório final sobre as investigações a respeito do chamado esquema do "mensalão". A oposição considera que o texto de Serraglio "condensa mais" os fatos investigados. Do encontro participou também o líder do PT no Senado, senador Aloizio Mercadante (SP). O deputado federal Maurício Rands (PT-PE), integrante da CPI dos Correios, afirmou que foi criada uma comissão de sistematização para executar alterações no relatório do deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR). Essas mudanças seriam feitas com base nos 37 votos em separado apresentados, incluindo o substitutivo (relatório paralelo) apresentado hoje pelo PT. A comissão vai definir os pontos em comum e negociará a redação de temas polêmicos como o uso da palavra "mensalão", a questão envolvendo a origem dos recursos - como a suposta participação de Daniel Dantas no esquema -, as referências aos fundos de pensão e também os indiciamentos sugeridos nos relatórios.Os participantes da reunião decidiram que o relatório será votado amanhã, no final do dia, mas que haverá um prazo até quinta-feira para a realização dessa votação. A discussão em torno do relatório será reiniciada agora, na CPI, e retomada amanhã. As informações foram divulgadas à saída da reunião pelo líder do PSDB, deputado Juthay Júnior (BA), e por outros participantes. Na votação do relatório, pelas estimativas de integrantes da CPI, a oposição teria 15 votos, e os governistas, também 15. Se a votação terminar em empate, caberá ao presidente da comissão, Delcídio Amaral, dar o voto de minerva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.