CPI dos Cartões ouve o ministro Orlando Silva na terça-feira

Marisa Serrano afirma que os trabalhos podem acabar se não forem convocadas pessoas ligadas à Presidência

Paulo R. Zulino, do estadao.com.br,

07 de abril de 2008 | 10h04

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Mista dos Cartões Corporativos deve ouvir a partir de terça-feira, 8, os primeiros acusados de mau uso dos cartões e especialistas em segurança institucional. Os primeiros depoimentos previstos são do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Jorge Felix, e do ministro do Esporte, Orlando Silva.     Veja Também:   PF abre inquérito para apurar vazamento de dados de FHC Decisão da PF de investigar dossiê é uma farsa, diz Virgílio Garibaldi deve instalar CPI dos Cartões no Senado amanhã Dilma anuncia auditoria e fala em ação da PF sobre vazamento Entenda o que é e como funciona o ITI Dossiê com dados do ex-presidente FHC  Entenda a crise dos cartões corporativos  Forúm: Quem ganha e quem perde com a CPI? Oposição vai questionar Dilma sobre dossiê contra FHC em comissão A ex-ministra da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro, e o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda, devem depor na quarta-feira. Depois, será a vez do ministro da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca, Altemir Gregolin, e do ex-ministro do Gabinete da Segurança Institucional da Presidência no governo Fernando Henrique Cardoso Alberto Cardoso, na quinta-feira.A presidente da CPI, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), já afirmou que os trabalhos poderão acabar se a base aliada não permitir a convocação de pessoas ligadas à Presidência e a requisição de documentos considerados sigilosos. No Senado, uma CPI exclusiva pode ser instalada na terça-feira, 8, sobre o tema, já que oposicionistas dizem que estão sendo atropelados por não conseguirem aprovar os requerimentos.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI dos cartões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.