CPI dos Cartões no Senado deve ser instalada amanhã

O presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), disse ontem que vai instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) exclusiva da Casa para investigar os gastos com cartões corporativos e o vazamento de um dossiê que teria sido montado na Casa Civil sobre as despesas feitas no governo Fernando Henrique Cardoso. ?Vou ler (o requerimento) e colaborar para instalar a comissão. Não se deve segurar CPI. Quem tiver de morrer de inanição que morra. Quem tiver o destino fatal que termine de se acabar?, afirmou Garibaldi.Ele marcou para amanhã a leitura do requerimento da oposição. ?Eu não iria me desmoralizar deixando de fazer a leitura?, disse. Garibaldi se manifestou contrário às manobras para evitar a criação da nova CPI, que vai concorrer com a comissão mista de deputados e senadores instalada no dia 12 de março, mas controlada pela base governista. Enquanto na Câmara a base do governo tem quase 380 dos 513 deputados (74%), no Senado o equilíbrio é maior: independentemente das legendas, a divisão costuma ser de 47 senadores governistas (58%) contra pelo menos 34 que acompanham a oposição. TribunaisO presidente do Senado e parlamentares da oposição temem que as investigações sobre a quebra do sigilo dos gastos com cartão corporativo efetuados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a primeira-dama Marisa Letícia saiam da órbita do Legislativo e se transformem em uma batalha judicial no Supremo Tribunal Federal (STF). ?O ideal é que isso se esgote no Parlamento. Mas, com esse clima de choque político, a discussão acabará nas portas dos tribunais?, disse Garibaldi. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.