CPI dos Cartões aprova convocação do reitor da Unifesp

Comissão também acolhe pedido de informação sobre gastos com cartões corporativos feitos pela UnB

Agência Senado,

16 de abril de 2008 | 12h14

O reitor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ulysses Fagundes Neto, será convocado a depor na CPI Mista dos Cartões Corporativos, conforme requerimento aprovado nesta quarta-feira, 16, pelo colegiado. Fagundes Neto teria gasto, durante um ano e meio, quase R$ 80 mil em compras de cosméticos, material esportivo, aluguel de carro e diárias em hotéis, um deles na Disney, em Orlando (EUA), segundo o jornal O Globo. Também foi aprovado requerimento ao ex-vice-reitor da Universidade de Brasília (UnB), Edgard Mamyia, que terá que explicar os gastos da universidade nos últimos anos.   Veja também:   Entenda a crise dos cartões corporativos   Oposição fura o cerco e Dilma terá de explicar dossiê no Senado Dossiê FHC: o que dizem governo e oposição PF pede a governo dados sobre segurança da Casa Civil PF abre inquérito para apurar vazamento de dados de FHC Dossiê com dados do ex-presidente FHC    Na última terça-feira, o reitor da Unifesp decidiu operar para pôr um ponto final no bombardeio de denúncias por mau uso do cartão corporativo, devolvendo ao Tesouro Nacional cada centavo do governo gasto por ele nos últimos dois anos. Ao todo, ele já devolveu R$ 85,5 mil à administração federal. As despesas de Fagundes Neto no cartão corporativo, de janeiro de 2006 a março desse ano, somam R$ 90.726,22, segundo o Portal da Transparência, do Governo Federal.   Acusado de hospedar-se num hotel da Disney e pagar a conta com o cartão, o reitor apresentou documentos mostrando que o motivo da viagem a Orlando, nos Estados Unidos, de 17 a 22 de outubro de 2006, não foi lazer nem férias. Ele instalou-se como hóspede no Lake Buena Vista, um dos estabelecimentos do complexo Disney, porque foi lá o 19º Encontro Anual da Sociedade Norte-Americana de Gastroenterologia Pediátrica, do qual o reitor, que é médico desta especialidade, participou como palestrante, autorizado pelo ministério.   A primeira vez que Fagundes usou o cartão corporativo foi em junho de 2006, na Alemanha, onde participou de um congresso mundial de gastroenterologia pediátrica, hepatologia e nutrição e organizou a vindo do evento para o Brasil, neste ano. Tinha outro compromisso oficial em Berlim, que acabou cancelado. Por isso, teve de devolver ao Tesouro os gastos realizados ali com o cartão.   Pressão   Estudantes da Unifesp realizam assembléia geral nesta quarta às 18 horas, para organizar manifestações contra o reitor da universidade, investigado pela CPI dos Cartões Corporativos por irregularidades no uso de seu cartão. Os estudantes não descartam uma ocupação.   Na assembléia, no Diretório Central dos Estudantes (DCE), na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, os universitários decidirão como serão as manifestações. "Definiremos hoje como o movimento estudantil protestará contra esses absurdos. Cobramos uma postura ética do reitor", disse o coordenador-geral do DCE da Unifesp, Tiago Cherbo, do curso de Ciências Biomédicas, do campus São Paulo. "Se os estudantes forem favoráveis à ocupação da reitoria, o DCE apoiará."   (com Christiane Samarco e Ricardo Brandt, de O Estado de S. Paulo, e Carolina Freitas, da Agência Estado)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.