CPI do Roubo de Cargas deixa Campinas

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que investiga os roubos de cargas encerrou sua passagem por Campinas, hoje, com resultados abaixo das expectativas. Das 36 testemunhas convocadas, apenas 17 compareceram à Câmara Municipal, onde ocorreram os interrogatórios. Mesmo assim, os parlamentares divulgaram ter indícios de que pelo menos quatro quadrilhas de roubo de cargas atuam na região. Os trabalhos da CPI ocorreram ontem e hoje, com participação de sete deputados e dois senadores.A presença mais aguardada de hoje era a de Gilberto Hidalgo Gimenez, acusado de liderar uma quadrilha de roubo de cargas na região, e que não compareceu ao depoimento. Ele e Claudionor Santos foram flagrados com 14 caminhões roubados em um barracão na Avenida Prestes Maia, em Campinas, há 17 dias. Os dois tiveram prisão preventiva decretada, mas foram liberados por meio de habeas-corpus. Os parlamentares não esconderam a frustração provocada pelas duas ausências. A Comissão ouviu hoje 10 suspeitos. De manhã, foram interrogados quatro acusados, entre eles Luiz Benedito da Costa, preso há um mês, depois que a polícia encontrou produtos roubados em sua chácara, no município de Saltinho. À tarde, os parlamentares interrogaram outros seis homens, três deles presos por roubo de uma carreta com de 14 toneladas de açúcar em Piracicaba. Todos negaram os crimes e qualquer envolvimento com quadrilhas de roubos de carga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.